Parem com a perseguição e a repressão contra os trabalhadores da Comcap em greve!

Parem Com a Perseguição Sindical. Parem Com a Atividade Anti-Sindical. Parem Com a Repressão Judicial. Parem Com as Ameaças de Demissão dos Trabalhadores em Greve Legítima. Parem com os Ataques às Liberdades Democráticas!


[Source]

Os trabalhadores da Comcap (Empresa de limpeza pública de Florianópolis, Santa Catarina), entraram em greve no dia 18 de janeiro em luta contra o Projeto de Lei, enviado pelo Prefeito Gean Loureiro (DEM) à Câmara de Vereadores que previa a extinção da empresa e a privatização dos serviços de limpeza pública, além de reduzir em até 50% o salário dos trabalhadores. O projeto foi aprovado pela maioria dos vereadores atropelando todos os prazos legais de tramitação e sob um forte aparato da Polícia Militar e Guarda Municipal.

Em assembleia realizada no dia 27/01 os trabalhadores decidiram manter a greve, que conta com adesão de quase 100% da categoria, exigindo a revogação da lei. Por outro lado, o prefeito, o judiciário, os políticos burgueses, os comerciantes e empresários locais entraram em campanha pública furiosa exigindo perseguição e repressão violenta contra os trabalhadores e seu sindicato, Sintrasem.

O Judiciário, através do desembargador (Juiz) Júlio César Knoll, determinou a ilegalidade da greve e autorizou o Município a “efetuar a exoneração e demissão por justa causa de todos os servidores e empregados da Autarquia”; bloqueio das contas bancárias do sindicato e cobrança de multa diária no valor de 200 mil reais (cerca de USD 40 mil); sequestro da quantia diretamente da folha de pagamento e dos valores que os membros da diretoria do SINTRASEM tivessem em suas contas bancárias pessoais até o valor da multa. E decidiu ainda que a Polícia Militar deve reforçar o efetivo policial para enfrentar os piquetes de greve e a desocupação dos locais em greve.

O Prefeito já anunciou que não irá negociar com os grevistas e que vai demitir todos os 1.500 trabalhadores da Empresa.

Diante dessa ação truculenta e anti-sindical orquestrada entre o Executivo Municipal, Legislativo Municipal e o Judiciário, nos dirigimos a todos os trabalhadores e suas organizações sindicais, especialmente à direção da Central Única dos Trabalhadores (CUT), e aos partidos que se reivindicam da classe trabalhadora (PT, PSOL, PCdoB e outros), aos parlamentares e ativistas do movimento dos trabalhadores, aos que defendem as liberdades democráticas, para que enviem urgentemente moções para essas autoridades solicitando a retirada das ações judiciais e de toda perseguição e repressão contra o sindicato, seus diretores e os trabalhadores, exigindo o fim das ameaças de demissão dos grevistas. Pedimos também que publiquem esse apelo em suas redes sociais e que emitam declarações públicas condenando a perseguição e repressão, defendendo as liberdades democráticas.

Em especial, conclamamos a CUT/SC e seus sindicatos da região da Grande Florianópolis, para apoiar a luta dos trabalhadores da Comcap abrindo a discussão sobre uma Greve Geral da região para fazer a prefeitura, o judiciário e os empresários locais recuar.